FOSFITO NO CONTROLE DA ANTRACNOSE E QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE GOIABA EM CULTIVO CONVENCIONAL E ORGÂNICO

Dina Marcia Menezes Ferraz, Luiz Eduardo Bassay Blum, Andre Freire Cruz, Mariana Layse Araujo Barreto, Carlos Hidemi Uesugi, Jose Ricardo Peixoto

Resumo


Este estudo avaliou o efeito de fosfitos (Fos) sobre a ocorrência natural e artificial da antracnose (Colletotrichum gloeosporioides (Penz) Penz and Sacc) na pós-colheita da goiaba (Psidium guajava). A qualidade  física e química indicadas pela perda de massa fresca (PMF), pH, sólidos solúveis (SS), acidez titulável (AT) e maturação da goiaba ‘Pedro Sato’ oriunda de produção convencional (Co) e orgânica (Or), com ou sem inoculação pós-colheita do patógeno foram avaliadas. Os tratamentos {Fos [Ca (30% P2O5 + 7% Ca / ‘Phytogard Ca’ 3 mL/L); Zn (40% P2O5 + 10% Zn / ‘Phytogard Zn’ 2,5 mL/L); Mg (40% P2O5 + 6% Mg / ‘Fitofós Mg’ 1,5 mL/L); K (40% P2O5 + 20% K2O / ‘Fitofós K plus’ 1,5 mL/L)]} e o fungicida (Carbendazim - ‘Derosal’ 1 mL/L) foram aplicados aos frutos. O tratamento testemunha foi com água esterilizada. O diâmetro das lesões (DL) , o grau de maturação e o número de lesões naturais (NL) bem como as análises físiicas e químicas dos frutos foram avaliados. Os resultados mostraram que o DL em frutos de Co foi menor com a aplicação dos Fos. Em fruto de Or, a redução do DL se deu com a aplicação do Fos Zn e K. O NL em frutos de Co foi menor com a aplicação dos Fos Mg, Zn e K. O Fos K reduziu o DL em frutos de Co e Or em todas as doses testadas. O Fos Zn e o Carbendazim retardaram a maturação de frutos.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.37856/bja.v91i3.216

Apontamentos

  • Não há apontamentos.