AVALIAÇÃO FENOTÍPICA E GENOTÍPICA E DESEMPENHO DE ESTABILIDADE EM CULTIVARES DE BANANEIRAS NO AMAPÁ

Gilberto Ken Iti Yokomizo, Jurema do Socorro Azevedo Dias, João Batista Duarte

Resumo


Na expansão para novas localidades de cultivo é necessário a presença de estabilidade produtiva. O objetivo deste trabalho foi avaliar no Amapá o desempenho vegetativo e de produção, além de correlações entre as características avaliadas e a estabilidade nas cultivares Fhia-1, Fhia-18, PV-0344, Thap Maeo e Caipira. Após três ciclos os resultados indicaram presença de maior contribuição genética, exceto em SEV10, FMJI e NFV, com maior contribuição ambiental e da interação GxA; as correlações entre as características vegetativas e de produção foram positivas, enquanto que as com SEV10 foram negativas. Podendo-se concluir que as características relacionadas à doença e NFV dificultam a seleção; a severidade da doença prejudica todos as demais características, indicando baixa tolerância ou ausência de resistência nas cultivares e; as mais estáveis foram a Thap Maeo e a Caipira, enquanto Fhia-1 e PV-0344 foram responsivas para o desenvolvimento da doença.


Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, J. da S. 2009. Adaptabilidade e estabilidade de genótipos de bananeira em diferentes condições ambientais Cruz das Almas, BA. 63p. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia).

AMORIM, E.P.; CAMARGO, C.E.O.; FERREIRA FILHO, A.W.P.; PETTINELLI JUNIOR, A.; GALLO, P.B.; AZEVEDO FILHO, J.A. 2006. Adaptabilidade e estabilidade de linhagens de trigo no Estado de São Paulo. Bragantia, v.65, p.575-582.

BORÉM, A.; MIRANDA, G. V. 2009. Melhoramento de Plantas. 5. ed. Viçosa: Editora UFV, v.1, 529p.

BORGES, R. de S.; SILVA, S. de O. e; OLIVEIRA, F.T.; ROBERTO, S.R. 2011. Avaliação de genótipos de bananeira no norte do Estado do Paraná. Revista Brasileira de Fruticultura, v.33, p. 291-296.

CAUWER, I. de; VUYLSTEKE, D.; ORTIZ, R. 1995. Yield Nigéria and Cameroon. MusAfrica, v.6, p.15-16.

CAUWER, I. de; ORTIZ, R. 1988. Analysis of the genotype x environment interaction in musa trials. Experimental Agriculture, v.34, p.177-188.

COHEN, J. 2013. Statistical power analysis for the behavioral sciences. Londres: Routledge, 2a Ed revisada, 567p.

CRUZ, C.D.; REGAZZI, A.J.; CARNEIRO, P.C.S. 2012. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. Viçosa: Editora UFV, 514p

CRUZ, C.D. 2006. Programa Genes – Biometria. 1a ed. Viçosa: Editora UFV, 382p.

DONATO, S.L.R.; SILVA, S.O.; LUCCA FILHO, O.A.; LIMA, M.B.; DOMINGUES, H.; ALVES, J.S. 2006. Correlação entre caracteres da planta e do cacho em bananeira (Musa spp). Ciência e Agrotecnologia, v.30, p.21-30.

FAOSTAT 2011. Food Balance Sheets. Disponível em: . Acesso em: 05 jan. 2015.

HESLOP-HARRISON, J. S.; SCHWARZACHER, T. 2007. Domestication, Genomics and the Future for Banana. Annals of Botany, v.100, p.1073-1084.

HOOGERHEIDE, E.S.S.; FARIAS, F.J.C.; VENCOVSKY, R.; FREIRE, E.C. 2007. Estabilidade fenótipica de genótipos de algodoeiro no estado do Mato Grosso. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.42, p.695-698.

IBGE Levantamento Sistemático da Produção Agrícola 2014. IBGE, Rio de Janeiro, v.27, 86p.

LÉDO, A. da S.; SILVA JUNIOR, J.F. da; LÉDO, C.A. da S.; SILVA, S. de O. e 2008. Avaliação de genótipos de bananeira na região do Baixo São Francisco, Sergipe. Revista Brasileira de Fruticultura, v.30, p.691-695.

LESSA, L.S.; LEDO, C.A. da S.; SANTOS, V. da S.; SILVA, S. de O.; PEIXOTO, C.P. 2010. Seleção de híbridos diplóides (AA) de bananeira com base em três índices não paramétricos. Bragantia, v.69, p.525-534.

LIMA, M.B.; SILVA, S. de O.; JESUS, O.N. de; OLIVEIRA, W.S.J. de; AZEVEDO, R.L. de 2005. Avaliação de cultivares e híbridos de bananeira no Recôncavo Baiano. Ciência e Agrotecnologia, v.29, p.515-520.

OLIVEIRA JÚNIOR, R.C. de; MELÉM JÚNIOR, N.J. 2000. Zoneamento agroecológico do município de Porto Grande: relatório final. Embrapa Amapá, Macapá, 68p.

ORTIZ, R.; CAUWER, I. de 1998. Genotype-by-environment interaction and testing environments for plantain and banana (Musa spp. L) breeding in West Africa. Tropicultura, v.16, p.97-102.

PIMENTEL GOMES, F. 2009. Curso de estatística experimental. 15a ed. Fealq, Piracicaba, 451p.

RESENDE, M.D.V. de 2009. Genética Biométrica e estatística no melhoramento de plantas perenes. Colombo: Embrapa Florestas, 975p.

ROCHA, M.M.; VELLO, N.A.; LOPES, A.C.A.; MAIA, C.C.M. 2003. Comportamento produtivo de genótipos de soja no município de Piracicaba, São Paulo. Boletim de Pesquisa 48, Embrapa Meio Norte, Teresina, Piaui, 19 p.

RODRIGUES, M.G.V.; SOUTO, R.F.; SILVA, S. de O. 2006. Avaliação de genótipos de bananeira sob irrigação. Revista Brasileira de Fruticultura, v.28, p.444-448.

ROQUE, R. de L.; AMORIM, T.B. do; FERREIRA, C.F.; LEDO, C.A. da S.; AMORIM, E.P. 2014. Desempenho agronômico de genótipos de bananeira no Recôncavo da Bahia. Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v.36, n.3, p.598- 609.

SANTOS, C. 2007. Estatística Descritiva – Manual de Auto-aprendizagem. Lisboa: Edições Silabo, 264p.

SILVA, S.O.; FLORES, J.C.O.; LIMA NETO, F.P. 2002. Avaliação de cultivares e híbridos de bananeira em quatro ciclos de produção. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v.37, p. 1567-1574.

UNCTAD, 2015 Banana. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2015.




DOI: https://doi.org/10.37856/bja.v91i3.356

Apontamentos

  • Não há apontamentos.